Avançar para o conteúdo principal

Reunião de Condomínio e o vizinho Zé

Como todos os anos acontece, ontem foi dia de reunião de condomínio do prédio onde moro. Sendo um evento pouco glamoroso a puxar para o aborrecido, o que faço com o meu marido é que cada um de nós se vai revezando: uma vez vai ele outra vou eu. Ontem calhou-me a mim!

Não tinha tido um dia particularmente ligeiro e ia com aquela sensação de que ia dizer que sim a tudo para ver se não demorava mais do que o necessário pois precisava de descansar a cabeça.

Eu já tive várias lições na vida que me deviam ter ensinado que não vale a pena fazer futurologias e nem sempre o que se adivinha negro e sombrio assim o é. Mas mesmo assim continuo a cair nesta dinâmica de pensamento negativo. Tonta que sou!

Lá discutimos o orçamento, lá aprovamos o orçamento, lá fizemos as nossas considerações e pedidos, lá fizemos tudo o que uma boa reunião de condomínio merece.

Primeiro parêntese: vivemos numa era de opinião rápida e gratuita, de gente que se odeia virtualmente, presencialmente, que o seu bem passa pelo mal dos outros, que só sabe dizer mal, ninguém é amigo de ninguém, que não há almoços grátis, que o que é meu é meu e o que é teu é nosso, do venha a nós, ui… sei lá… tanta coisa má que nem consigo enumerar tudo.

Voltando à reunião: já levava na cabeça ressalvar um grande ponto positivo do prédio que é a Casa do Lixo. Tinha até marcado um lembrete no telemóvel para não me esquecer de referir. Desse por onde desse queira ter uma palavra de simpatia para todos os vizinhos.

E aqui volto a fazer um parêntese: a casa do lixo do meu prédio dá gosto de lá entrar. Sempre limpa, o lixo todo organizado nos diversos contentores, não há lixo nenhum no chão e acima de tudo não cheira mal.

Pedi palavra e disse que queria dar os parabéns a todos os vizinhos pelo esforço de ter tudo tão organizado. Espanto meu quando a gestora do condomínio disse:

Ah! Isso é o Sr. Zé que faz!

Nem percebi bem. O Sr. Zé? Sim é ele que trata da casa do lixo diariamente!

Após a sensação inicial de desapontamento (pois acreditava que era um pouco de todos) senti uma profunda admiração pelo vizinho Zé.

O sr. Zé é uma pessoa que não recebe nada em troca, mas zela pelo bom funcionamento dum espaço que sendo seu não é só seu. Não pede nada em troca dando o seu melhor como pessoa, cidadão, condómino, que vive integrado numa sociedade.

O sr. Zé separa o lixo que está colocado de forma errada dentro dos eco-pontos, lava o chão, verifica se um caixote está cheio, sela-o e abre o outro para que não haja lixo fora do contentor. Faz isto tudo porque sim, porque acha que está a fazer a coisa certa. E está!

Afinal, e se olharmos bem à nossa volta, não há só gente reles e má. De certeza que há muitos senhores Zé por aí que fazem da nossa vida um bocadinho melhor. Demos-lhe valor, aprendamos com eles e acima de tudo sejamos uns para os outros que ninguém vive só.

Não sei se me vai ler, mas que fique aqui registado que tenho muito orgulho em ser sua vizinha e que é uma referência de comportamento para todos.

Malta, tenham um excelente fim-de-semana.

Mafalda

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Bodião no forno e a empreitada para deixar de comer peixe

O bodião é um peixe que se encontra facilmente na Madeira pois o seu habitat preferencial é  junto á costa em toda a orla rochosa, em locais com muitas algas e também dentro dos portos. A sua cor varia entre o vermelho e o castanho sendo que identifica se é fêmea ou macho, respetivamente.

A sua carne é muito branca e densa e é dos peixes que mais gosto. Tem um sabor muito próprio que me leva à minha herança gastronómica. Em qualquer restaurante de peixe há bodião. Normalmente é feito grelhado ou então em filetes fritos.

A minha opção de fazer no forno foi por ser mais rápido e também por gostar muito de peixe assado. E vá… porque queria testar esta receita :D
Pré-aquecer o forno a 200º.

Comecei por fazer o tempero do peixe:
Numa trituradora juntei:
-6 tomates secos
- 2 dentes de alho
- 1 pitada de sal
- uma mão cheia de mistura de especiarias
- duas mãos cheias de manjericão fresco
- azeite e vinagre
Tudo triturado até ficar uma pasta.

Coloquei os peixes num tabuleiro de ir ao forno …

Peitos de Frango com manteiga de amendoim

A receita é do grande Jamie Oliver, a execução é minha. E este post vai abordar várias temáticas. Aconselha-se uma cadeira confortável, um chá quente e muita paciência, mas vai valer a pena. Confiem 😃

Se calhar falo primeiro de como se faz e depois do resto. O que acham? Acho que ouvi um sim desse lado. Então aqui vai:

Pré-aquecer o forno a 190º na função grelhador.

Ingredientes:
- três peitos de frango
- um limão
- duas colheres de sopa de manteiga de amendoim
- um dente de alho
- malagueta a gosto
- água
- sal
- pimenta
-azeite

Preparação:

Comecei por golpear os peitos de frango e temperei com sal, pimenta, raspas de limão e azeite. Reservei.

Para o molho misturei duas colheres de sopa de manteiga de amendoim, com sumo de meio limão, um alho ralado e um pouco de água.

A água serve para deslaçar o molho que tem de ficar com uma consistência mais cremosa, diria tipo iogurte.
A receita dizia para usar uma frigideira que depois fosse ao forno. Como não tenho usei um tabuleiro de ir ao…

Picado ou Picadinho

É só escolher qual o nome que querem dar a este petisco típico da minha terra – a bela e formosa ilha da Madeira.
Curiosamente os pratos típicos da região, tirando a Espada e o Atum, são à base de carne. Não somos produtores mas é uma presença na nossa gastronomia. Exemplo disso é a Espetada a Carne de Vinho e Alhos, o Picado e os deliciosos grelhados (sobretudo de galinha, costeletas de porco e bifes).

O Picado é ideal para um jantar em família ou entre amigos. Numa travessa pequena, média ou grande, colocada no meio da mesa serve de mote para por a conversa em dia enquanto se “pica” à vontade. Os mais gulosos muitas vezes têm de levar com um “já chega” que isto é para todos. Hehehehe
A receita típica varia sendo que a mais consensual é colocar no molho sopa de rabo de boi. Eu não o faço por questões de gosto pessoal.

Como faço o meu picado:
- Carne de vaca da boa e tenra cortada aos cubos temperada com sal, alho e louro;
- Numa frigideira bem quente com um fio de azeite e fritar at…