Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Fevereiro, 2018

Saber para quem estamos a cozinhar: endívias e cogumelos grelhados

O que me fascina da cozinha caseira é saber para quem estamos ou vamos cozinhar. Cozinhamos numa escala menor não tendo de agradar a um grande público – o cliente. Outra das coisas boas de saber quem é o nosso público é podermos fazer coisas diferentes e arriscar mais. Se não correr tão bem ninguém vai deixar de voltar e se correr pelo melhor ficamos de coração cheio e feliz por darmos de comer a quem gostamos. Esta “salada” de endívias e cogumelos grelhados não foi para os meus filhos que à primeira garfada iriam ligar as sirenes de alerta: “Ai mãe não gosto nada disso, eu gosto de comida simples já te disse”. Este prato não tem nada de complicado tem sim sabores diferentes e não usuais mas que para mim, para os meus pais e marido resultaram na perfeição. As endívias são um vegetal muito versátil da família das chicórias. As suas folhas são crocantes e amargas e podem ser consumidas cruas ou cozinhadas. A endívia contém poucas calorias e é rica em cálcio, vitamina A, fibras

Peitos de Frango com manteiga de amendoim

A receita é do grande Jamie Oliver, a execução é minha. E este post vai abordar várias temáticas. Aconselha-se uma cadeira confortável, um chá quente e muita paciência, mas vai valer a pena. Confiem 😃 Se calhar falo primeiro de como se faz e depois do resto. O que acham? Acho que ouvi um sim desse lado. Então aqui vai: Pré-aquecer o forno a 190º na função grelhador. Ingredientes: - três peitos de frango - um limão - duas colheres de sopa de manteiga de amendoim - um dente de alho - malagueta a gosto - água - sal - pimenta -azeite Preparação: Comecei por golpear os peitos de frango e temperei com sal, pimenta, raspas de limão e azeite. Reservei. Para o molho misturei duas colheres de sopa de manteiga de amendoim, com sumo de meio limão, um alho ralado e um pouco de água. A água serve para deslaçar o molho que tem de ficar com uma consistência mais cremosa, diria tipo iogurte. A receita dizia para usar uma frigideira que depois fosse ao forno.

Pôr comida na mesa: 6 Receitas fáceis p/Pequeno-almoço | As viagens do Vs

Finalmente começamos a por a comida na mesa 😁. O meu desafio e o da Vera Pereira das Viagens dos Vs tem sido este: ajudar na organização das tarefas relacionadas com a comida. Assim sendo, vamos começar pela primeira refeição do dia: o pequeno-almoço. Ficam estas 6 sugestões que se quiserem podem acrescentar e partilhar connosco: Pôr comida na mesa: 6 Receitas fáceis p/Pequeno-almoço Parafraseando a Vera “E para quem só agora chegou, é importante dar uma vista de olhos nos seguinte artigos: 1. Como Organizar as Refeições da Semana 2. Como organizar a despensa de casa: Lista de essenciais! 3. Guia de compras na secção dos frescos | Mafabulous Cook Depois disso, vai tudo parecer ainda mais fácil.” E tenham uma boa semana! Mafalda Podem ainda encontrar a Vera e as suas viagens no Facebook, no instagram e no blogue claro.

Deitar fora pão duro é prematuro… E sai uma rima para o início da semana

Os aproveitamentos fazem parte das minhas refeições e dar vida nova às sobras quase que é a minha especialidade. Domingo é dia do Senhor e como tal é dia de descanso. Contudo, os miúdos tinham tido uma tarde agitada de atividades e só a sopa iria ser pouco. Já vos disse que comem bem não disse? Também não me apetecia estar a fazer grandes cozinhados e vai daí surgiram estas bruschettas simplificadas mas que no sabor não deixam nada a dever às mais elaboradas. O mote foram três pães duros que tinha guardado. Pré-aqueci o forno a 200º. Cortei o pão em fatias e coloquei num tabuleiro forrado com uma folha de papel vegetal. Depois parti dois tomates em cubos pequenos que temperei com salsa picada, um dente de alho ralado e uma pitada de sal. Antes de colocar no forno reguei o pão com um fio de azeite. E depois pus por cima o tomate e ralei queijo parmesão. Levei ao forno (a 200º) por 10 minutos e ficaram prontas estas lindas bruschettas. São fáceis d

Dica: Como fazer azeite de hortelã

O azeite aromatizado é muito simples de fazer e dá aos alimentos e aos cozinhados um toque diferente. Este exemplo de azeite de hortelã é porque tenho muita em casa e não gosto de desperdiçar. Podem fazer de coentros, de sala, de alho, de limão e até mistura de ervas e especiarias. Fica a base: - Um molho de folhas de hortelã lavadas e sem os caules mais duros - Picar bem - Cobrir com o azeite. Feito! Melhoramentos: - Deixar pelo menos umas horas a fazer a infusão; - Se aquecerem o azeite não o deixando ferver acelera o passo de ganhar sabor; - Quanto melhor o azeite melhor o azeite de hortelã 😊; - Usem-nos em assados, para temperar saladas, para compor um prato de massa, enfim… dá para quase tudo; - Guardem tapado num frasco esterilizado (fervido por 2 minutos em água). Mafalda

É quase como ir comprar feito mas não tem de sair de casa

Quando morava em Lisboa era normal a refeição de domingo à noite ser frango assado com batatas fritas de pacote. Eu não tinha esse hábito porque não cresci com esse ritual mas confesso que são muitas pessoas que o fazem e que gostam. As churrascarias são muitas e o frango “para levar” uma instituição. Sei que entretanto alargaram a sua oferta para o entrecosto e aí já fica mais ao meu gosto. Aqui na Madeira come-se o frango “no churrasco” nos arraiais ou mesmo nos restaurantes de espetada, que nem sei bem como os classificar. Restaurantes Espetadeiros? Ajudem-me vocês e não vale restaurante “típico madeirense”. Este é o mote para o entrecosto assado que vos vou propor, que tanto pode fazer parte de uma refeição de fim-de-semana como um conforto para um domingo à noite (ou segunda, ou quarta, ou outro dia que vos apeteça). Tinha um quilo de entremeada e meio quilo de entrecosto e estas quantidades deram para 6 pessoas. Tinha outros acompanhamentos mas fica a referência. Tempe

Linguini com tomate, alho, manjericão e balsâmico

E no título já vos dei todos os ingredientes para este prato de massa que eu A-D-O-R-O. Até aprece mal este “adoro” para falar de comida mas pronto… é assim um… “gosto muito”. E temos de estar atualizados com a linguagem dos mais novos. O adoro e o odeio são uma constante nas suas bocas. Por um lado é bom que é mais sucinto e não deixa margem para dúvidas por outro é chato adorarem a mãe e adorarem a playstation ao mesmo nível semântico (digo eu). Vamos falar de comida e de massa e de tomate? Vamos!!! Escolhei três qualidades de tomate, chucha, cereja e coração de boi (cerca de 400gr no total). Descasquei 3 dentes de alho e lavei um molho de manjericão bem fresco. Preparação feita. Depois cozinhei o linguini conforme as instruções do pacote (entre 10 a 12 minutos em água abundante, a ferver e temperada com sal). Numa frigideira grande coloquei um fio de azeite, parti o alho e deixei alourar uns 30 segundos. Depois deitei o tomate partido e metade do manjericão e quis só qu

Eu nunca passei fome

Tinha para hoje um post preparado sobre uma receita, como habitualmente faço. Este espaço é para isso, para partilhar comida e refeições e outras coisas “levezinhas”. No entanto, somos feitos de várias matérias. Acontecimentos esporádicos nos fazem pensar e repensar sobre assuntos que, por vezes, nos passam ao lado porque não é a nossa realidade. É longe, não sabemos bem o que é isso, mas hoje não sei… a conversa na escola dos meus filhos… uma simples conversa de nada transformou o meu dia. Estava um pássaro morto no recreio da escola e eu exclamei que era a natureza, era Darwin, porque não gosto de pássaros. Houve uma contra resposta, eu disse que estava a brincar mas que também os pombos me metiam nojo, que eram ratos com asas e estavam cheios de doenças. A Rosa (senhora da porta) disse: ratos sim tenho horror! Uma outra senhora que ouvia a conversa disse apenas o seguinte: é o que tem valido às crianças da Venezuela. O meu pensamento parou, disse bom dia e vim-me embora. Com

Caril de vegetais para uma segunda-feira sem carne

Muitos de vocês já conhecem o movimento as 2as sem carne. Não sendo vegetariana consigo entender e apoiar este movimento porque acredito que a variedade e a qualidade da nossa alimentação influência a nossa saúde e o nosso bem-estar. Meatless Monday, Meat Free Monday ou segundas-feiras sem carne é um movimento global que começou nos Estados Unidos da América no ano de 2003 e que atualmente se estende a mais de 20 países por todo o mundo. Em Portugal foi lançado pelo PAN (Partido pelos Animais e pela Natureza) e teve início em Outubro de 2011. É no fundo uma campanha de consciencialização para o impacto que o consumo excessivo de carne tem sobre o ambiente, os animais e na nossa própria saúde. O objetivo é incentivar as pessoas a fazerem as suas refeições sem carne (um dia por semana e à segunda-feira), e com isto reduzir o impacto nas alterações climáticas, na saúde e no sofrimento animal. Este movimento pode ser feito por qualquer pessoa que esteja disposta a querer não comer t