Avançar para o conteúdo principal

O que é regional é bom! O que é familiar ainda melhor!



A minha natureza curiosa e sempre atenta a produtos de qualidade fez-me chegar ao stand 46 do Mercado dos Lavradores. Sendo o mais sincera possível eu já conhecia o Roberto Câmara, proprietário da Ervanária e Produtos Biológicos, mas de outras “vidas”. Fomos colegas na função pública mas depois ele seguiu outro caminho. Soube que estava a trabalhar no Mercado. Passei por lá uma vez, vi as ervas que tinha e na altura e fiquei com muito boa impressão dos produtos que ali encontrei.

Mas o tempo passa que nem damos conta. Entre uma visita e a que fiz e no passado sábado devem ter passado uns 6 anos. Na minha "voltinha" ao mercado resolvi fazer-lhe uma visita que já estava programada, há muito tempo. Se já tinha ficado bem impressionada anos atrás, desta vez foi ainda melhor.

Não só aumentou o seu espaço como aumentou a oferta de produtos. É de perder a cabeça e a única coisa que vos posso aconselhar é que passem por lá, façam-lhe uma visita e deliciem-se com a variedade de artigos que irão encontrar.

Para além disso o Roberto (que já vos vou apresentar melhor) explica pormenorizadamente os produtos que pretendemos adquirir e isso faz toda a diferença. Se vos posso deixar uma sugestão é esta:

amanhã é sábado, dia de ir ao mercado!

Vou então falar-vos um bocadinho da

Roberto José Andrade Câmara
Ervanária e Produtos Biológicos


Roberto José Andrade Câmara dedica-se à comercialização e preparação de plantas
aromáticas e medicinais, a arte de secar, preparar e embalar as plantas foi herdada da sua família que já desenvolve a sua atividade na área à mais de 50 anos e estabeleceu-se desde o inicio no mercado dos lavradores.

 Inicialmente o negócio centrava-se na comercialização de ervas no domínio da etnofarmacologia madeirense, mas, com a emergente popularidade da componente aromática na gastronomia global e com o declínio da atração do mercado dos lavradores para os consumidores regionais, o negócio tem prosperado mais nesta última componente aromática.

Atualmente tem duas linhas distintas de produtos. As ervas para infusões aromáticas
que tem sido a sua trademark ao longo dos anos e que se orgulham de apresentar ao
cliente uma variedade muito de extensa de ervas regionais. Tem ainda as especiarias
que complementam a componente aromática na cozinha. Para completar estas ofertas, oferecem aos clientes a possibilidade de adquirir misturas (de ervas ou especiarias) preparadas por si que vão de encontro à dieta e tradição regional.

A gestão do negócio bem como a produção restringe-se a um domínio familiar que conta com know-how e expertise de 3 gerações e várias décadas na indústria alimentar e da medicina alternativa, e isto confere-lhes uma visão bastante abrangente das constantes mutações de mercado e uma mais valia na contratação de novos fornecedores (regionais ou estrangeiros) quando a incrementos na procura de determinados artigos/produtos, e assim assegurar a estabilidade e continuidade do seu negócio.

Comercializam produtos regionais de qualidade e completamos a componente aromática com uma oferta muito ampla em especiarias oriundas de várias partes do mundo. O mercado tem beneficiado do fenómeno da globalização na dieta alimentar e atualmente a nossa oferta está virada para a componente aromática.

Espero que tenham ficado curiosos. Fiquem também a saber que terei produtos do Roberto no meu Workshop de Cozinha: Queijo: a Estrela da Festa, que decorrerá no dia 1 de dezembro, às 11h30 no Museu da Casa da Luz.

http://www.mafabulouscook.pt/2018/11/workshop-de-natal-queijo-estrela-da.html

Gosto tanto de partilhar convosco coisas boas.
Ah já me esquecia! O Stand 46 é ao cimo da escadaria do lado esquerdo se estiverem e frente para a lota.
Bom-fim-de-semana.

Mafalda

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Bodião no forno e a empreitada para deixar de comer peixe

O bodião é um peixe que se encontra facilmente na Madeira pois o seu habitat preferencial é  junto á costa em toda a orla rochosa, em locais com muitas algas e também dentro dos portos. A sua cor varia entre o vermelho e o castanho sendo que identifica se é fêmea ou macho, respetivamente. A sua carne é muito branca e densa e é dos peixes que mais gosto. Tem um sabor muito próprio que me leva à minha herança gastronómica. Em qualquer restaurante de peixe há bodião. Normalmente é feito grelhado ou então em filetes fritos. A minha opção de fazer no forno foi por ser mais rápido e também por gostar muito de peixe assado. E vá… porque queria testar esta receita :D Pré-aquecer o forno a 200º. Comecei por fazer o tempero do peixe: Numa trituradora juntei: -6 tomates secos - 2 dentes de alho - 1 pitada de sal - uma mão cheia de mistura de especiarias - duas mãos cheias de manjericão fresco - azeite e vinagre Tudo triturado até ficar uma pasta. Coloquei os peixes num tab

Papas de aveia no forno com frutos vermelhos e o dia do Obrigado!

Umas das resoluções que fiz para o ano de 2018 é fazer com que os meus filhos sejam mais “fáceis” de contentar saindo dos pequenos-almoços tradicionais com cereais e pão. Eu esforço-me acreditem. Tento sempre fazer com que a comida mais saudável saiba bem porque sei muito bem que comer só por comer não adianta de muito e não muda hábitos. Já tinha tentado as papas de aveia com banana e canela , mas não correu nada bem. Como disse na altura, não vou desistir e vou continuar a dar o melhor de mim. As papas de aveia no forno são uma boa opção para mim, porque as faço na véspera e depois guardadas em local fresco aguentam pelo menos uns 3/4 dias. Vi esta receita no blogue do Casal Mistério e pareceu-me muito bem para uma nova tentativa de papas de aveia. Ingredientes Secos - 2 chávenas de flocos de aveia; - 1 colher de chá de fermento; - 1 colher de chá de canela (eu devo ter posto mais); - 1 pitada de sal; - 1 colher de sopa de açúcar de coco Ingredientes líquidos

Picado ou Picadinho

É só escolher qual o nome que querem dar a este petisco típico da minha terra – a bela e formosa ilha da Madeira. Curiosamente os pratos típicos da região, tirando a Espada e o Atum, são à base de carne. Não somos produtores mas é uma presença na nossa gastronomia. Exemplo disso é a Espetada a Carne de Vinho e Alhos, o Picado e os deliciosos grelhados (sobretudo de galinha, costeletas de porco e bifes). O Picado é ideal para um jantar em família ou entre amigos. Numa travessa pequena, média ou grande, colocada no meio da mesa serve de mote para por a conversa em dia enquanto se “pica” à vontade. Os mais gulosos muitas vezes têm de levar com um “já chega” que isto é para todos. Hehehehe A receita típica varia sendo que a mais consensual é colocar no molho sopa de rabo de boi. Eu não o faço por questões de gosto pessoal. Como faço o meu picado: - Carne de vaca da boa e tenra cortada aos cubos temperada com sal, alho e louro; - Numa frigideira bem quente com um fio de azeite e