Avançar para o conteúdo principal

Breakfast + lunch = Brunch


Não há tradução para brunch mas está no dicionário da língua portuguesa “Porto Editora” como sendo um nome masculino significando uma refeição geralmente tomada a meio da manhã, que serve de pequeno-almoço e almoço.
O brunch tem vindo a ganhar terreno sobre as refeições ditas tradicionais, por moda ou não, acaba por ser prático e ao contrário do que diz o dicionário penso que é mais usual ser tomado ao inicio da tarde.

Por todo o mundo o brunch é muito popular, em Portugal Continental é ver vários espaços que apresentam estes menus com diversos e variados preços como também diversas e variadas ofertas. Temos brunchs mais contidos, ou seja, servidos à mesa, e aquelas que são buffet, uma espécie de all you can eat. Em Lisboa e Porto, por exemplo, é ver estes espaços cheios de gente e sem marcação muito provavelmente será difícil arranjar uma vaga.

Aqui na Madeira não há tanta oferta mas descobri um por sugestão de uma amiga, que disse a uma amiga e essa amiga disse-me a mim. Fui espreitar e pelo sim pelo não reservei. Já vos falo sobre o assunto.

A minha experiência é pouca neste tipo de refeição, mas das vezes que fui gostei muito. Gosto da variedade de comida leve e mais nutritiva, associada a sushi, ou mesmo peixe fumado, ovos de variadas formas, sumos de fruta e flutes de champagne. Gosto! Gosto acima de tudo tentar fazer programas diferentes com os meus filhos e dar-lhes a conhecer outras formas de se alimentar que não seja a da subsistência. Ter prazer no momento e apreciar o que se come.

Como já tinha dito reservei um dia antes para a hora que achei mais razoável. À noite informei os meus filhos que no outro dia íamos ao brunch e que tinha desde waffles a sushi. Para surpresa minha ficaram eufóricos, não sei bem explicar porquê. Talvez por ser fora do formato ou simplesmente porque têm bom gosto.😂😂😂

Foi de tal forma a euforia que às 7 da manhã o Vasco chegou à minha cama com a pergunta: É hoje o brunch não é? Meu lindo filho, eram 7 da manhã!

À hora marcada chegamos ao SHU.AKA e tínhamos a nossa mesa à espera.

Serviram aos adultos uma flute de champagne e para todos da mesa o sumo do dia: era de morango e estava muito bom.

A comida foi chegando aos poucos mas de forma consistente.

Começou com uma taça de iogurte grego com sementes de chia, mel e amêndoas. Caso não gostem de banana a fruta pode ser substituída por outra que esteja disponível.

Depois veio o waffle com chocolate e smarties e uma taça de fruta. Aqui minha gente se já estavam entusiasmados a loucura instalou-se. Os olhos até brilhavam.

Depois veio o sushi (3 peças por pessoa) e uma tosta com abacate e ovos Benedict.

Para finalizar uma chávena de cappuccino.

Saímos de lá muito compostos e satisfeitos. Na minha opinião a única coisa que mudava, mais concretamente que acrescentava era a quantidade de sushi, mas pode ser um comentário suspeito pois eu e sushi temos uma relação de proximidade muito grande.

O brunch é servido aos sábados entre as 12h00 e as 15h00.

Fica a sugestão e caso queiram saber mais aqui ficam os contactos do SHU.AKA:

Morada: Rua das Fontes nº 19
9000-053 Funchal
Telefone:
927 388 784
Facebook:
https://www.facebook.com/SHUAKA-117327188343536/?epa=SEARCH_BOX

Nota: Todas as despesas foram pagas por mim. Esta é uma opinião com base na minha experiência pessoal durante a refeição.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

39… é muita fruta

E muito champanhe e balões e confetes e banda e fogo-de-artifício e todo esse banzé digno de mais uma volta ao sol.

Menos, muito menos. Já fui bastante mais festeira do que sou hoje e, muito sinceramente, basta-me saber de saúde que já fico genuinamente feliz.

Começo este ano com a perfeita noção que tenho muito mais para agradecer do que reclamar e este sentimento tem vindo a ser reforçado ao longo do tempo.

Para uns sou velha para outros sou nova mas para mim é o que é e se cá cheguei só pode ser bom.
Tenho muito que me orgulhar: desde os meus filhos, ao meu trabalho, a este blogue e a todo o esforço e dedicação que deposito em todas estas tarefas.

Tento sempre fazer o bem, ser correta e cordial. Acredito que tudo isto venha em retorno: recebemos o que damos.

Em forma de desejo(s) e por esta ordem de importância:
- saúde
- amor (bom e verdadeiro)
- dinheiro no bolso (que dá sempre jeito)

Que nunca me falte:
- imaginação e motivação para continuar a cozinhar
- imaginação e motivação…

O lado Doce da Europa- uma aventura com final feliz

Integrado nas comemorações oficiais do Ano Europeu para o Património Cultural, a Deputada ao Parlamento Europeu Cláudia Monteiro de Aguiar em parceria com o Centro de Informação Europe Direct Madeira (CIED Madeira) promoveu o Concurso Gastronómico “O lado Doce da Europa”.

O concurso teve como principal objetivo divulgar a gastronomia europeia, especificamente a doçaria, enquanto elemento importante da identidade e diversidade cultural dos  indivíduos, comunidades e sociedades.

As equipas tiveram que reproduzir uma receita - doce/sobremesa típica de um Estado Membro da União Europeia, fornecida aleatoriamente pela organização do concurso.

Aqui começa a aventura!

Quando fui entrevistar a Ângela Jesus para a rubrica “pessoas que eu recomendo” no inicio de março, não me passaria pela cabeça ver-me envolvida neste concurso. Enquanto falávamos, cozinhávamos, tirava fotos e fazia perguntas, surge a questão: Mafalda, quer ser minha parceira num concurso? Eu: concurso? Ângela: sim, de doces!…

Vou vender o “meu” pólinho

Sendo uma pessoa que se liberta bem daquilo que não precisa, existem duas coisas que me fazem confusão mudar: a casa e o carro. Talvez por serem bens mais caros e de certa forma mais permanentes e que por isso mesmo estão associados a memórias, vivências e experiências.

Este Volkswagen Polo 1.2 como a marca o chama é o “meu pólinho” do qual pretendo me separar. Como toda a separação sei que é para melhor mas tem o seu momento de luto.

Ora vejamos, este é o meu segundo carro. O primeiro foi um Smart for Two que tive de vender porque engravidei do Vasco e precisava de mais espaço. Como podem ver sou uma mulher de relações duradoras.

Não foi amor à primeira vista porque estava muito apegada ao Smart e custou-me deixá-lo ir. Todavia aos poucos deixo-o entrar na minha vida e aproveitei todas as vantagens que este carro me trouxe. É um carro fácil de conduzir, de estacionar e muito económico (é a gasolina 95). Sairá das minhas mãos muito estimado e tratado com muito carinho.

Assim sendo, está c…