Avançar para o conteúdo principal

Breakfast + lunch = Brunch


Não há tradução para brunch mas está no dicionário da língua portuguesa “Porto Editora” como sendo um nome masculino significando uma refeição geralmente tomada a meio da manhã, que serve de pequeno-almoço e almoço.
O brunch tem vindo a ganhar terreno sobre as refeições ditas tradicionais, por moda ou não, acaba por ser prático e ao contrário do que diz o dicionário penso que é mais usual ser tomado ao inicio da tarde.

Por todo o mundo o brunch é muito popular, em Portugal Continental é ver vários espaços que apresentam estes menus com diversos e variados preços como também diversas e variadas ofertas. Temos brunchs mais contidos, ou seja, servidos à mesa, e aquelas que são buffet, uma espécie de all you can eat. Em Lisboa e Porto, por exemplo, é ver estes espaços cheios de gente e sem marcação muito provavelmente será difícil arranjar uma vaga.

Aqui na Madeira não há tanta oferta mas descobri um por sugestão de uma amiga, que disse a uma amiga e essa amiga disse-me a mim. Fui espreitar e pelo sim pelo não reservei. Já vos falo sobre o assunto.

A minha experiência é pouca neste tipo de refeição, mas das vezes que fui gostei muito. Gosto da variedade de comida leve e mais nutritiva, associada a sushi, ou mesmo peixe fumado, ovos de variadas formas, sumos de fruta e flutes de champagne. Gosto! Gosto acima de tudo tentar fazer programas diferentes com os meus filhos e dar-lhes a conhecer outras formas de se alimentar que não seja a da subsistência. Ter prazer no momento e apreciar o que se come.

Como já tinha dito reservei um dia antes para a hora que achei mais razoável. À noite informei os meus filhos que no outro dia íamos ao brunch e que tinha desde waffles a sushi. Para surpresa minha ficaram eufóricos, não sei bem explicar porquê. Talvez por ser fora do formato ou simplesmente porque têm bom gosto.😂😂😂

Foi de tal forma a euforia que às 7 da manhã o Vasco chegou à minha cama com a pergunta: É hoje o brunch não é? Meu lindo filho, eram 7 da manhã!

À hora marcada chegamos ao SHU.AKA e tínhamos a nossa mesa à espera.

Serviram aos adultos uma flute de champagne e para todos da mesa o sumo do dia: era de morango e estava muito bom.

A comida foi chegando aos poucos mas de forma consistente.

Começou com uma taça de iogurte grego com sementes de chia, mel e amêndoas. Caso não gostem de banana a fruta pode ser substituída por outra que esteja disponível.

Depois veio o waffle com chocolate e smarties e uma taça de fruta. Aqui minha gente se já estavam entusiasmados a loucura instalou-se. Os olhos até brilhavam.

Depois veio o sushi (3 peças por pessoa) e uma tosta com abacate e ovos Benedict.

Para finalizar uma chávena de cappuccino.

Saímos de lá muito compostos e satisfeitos. Na minha opinião a única coisa que mudava, mais concretamente que acrescentava era a quantidade de sushi, mas pode ser um comentário suspeito pois eu e sushi temos uma relação de proximidade muito grande.

O brunch é servido aos sábados entre as 12h00 e as 15h00.

Fica a sugestão e caso queiram saber mais aqui ficam os contactos do SHU.AKA:

Morada: Rua das Fontes nº 19
9000-053 Funchal
Telefone:
927 388 784
Facebook:
https://www.facebook.com/SHUAKA-117327188343536/?epa=SEARCH_BOX

Nota: Todas as despesas foram pagas por mim. Esta é uma opinião com base na minha experiência pessoal durante a refeição.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Bodião no forno e a empreitada para deixar de comer peixe

O bodião é um peixe que se encontra facilmente na Madeira pois o seu habitat preferencial é  junto á costa em toda a orla rochosa, em locais com muitas algas e também dentro dos portos. A sua cor varia entre o vermelho e o castanho sendo que identifica se é fêmea ou macho, respetivamente. A sua carne é muito branca e densa e é dos peixes que mais gosto. Tem um sabor muito próprio que me leva à minha herança gastronómica. Em qualquer restaurante de peixe há bodião. Normalmente é feito grelhado ou então em filetes fritos. A minha opção de fazer no forno foi por ser mais rápido e também por gostar muito de peixe assado. E vá… porque queria testar esta receita :D Pré-aquecer o forno a 200º. Comecei por fazer o tempero do peixe: Numa trituradora juntei: -6 tomates secos - 2 dentes de alho - 1 pitada de sal - uma mão cheia de mistura de especiarias - duas mãos cheias de manjericão fresco - azeite e vinagre Tudo triturado até ficar uma pasta. Coloquei os peixes num tab

Papas de aveia no forno com frutos vermelhos e o dia do Obrigado!

Umas das resoluções que fiz para o ano de 2018 é fazer com que os meus filhos sejam mais “fáceis” de contentar saindo dos pequenos-almoços tradicionais com cereais e pão. Eu esforço-me acreditem. Tento sempre fazer com que a comida mais saudável saiba bem porque sei muito bem que comer só por comer não adianta de muito e não muda hábitos. Já tinha tentado as papas de aveia com banana e canela , mas não correu nada bem. Como disse na altura, não vou desistir e vou continuar a dar o melhor de mim. As papas de aveia no forno são uma boa opção para mim, porque as faço na véspera e depois guardadas em local fresco aguentam pelo menos uns 3/4 dias. Vi esta receita no blogue do Casal Mistério e pareceu-me muito bem para uma nova tentativa de papas de aveia. Ingredientes Secos - 2 chávenas de flocos de aveia; - 1 colher de chá de fermento; - 1 colher de chá de canela (eu devo ter posto mais); - 1 pitada de sal; - 1 colher de sopa de açúcar de coco Ingredientes líquidos

Picado ou Picadinho

É só escolher qual o nome que querem dar a este petisco típico da minha terra – a bela e formosa ilha da Madeira. Curiosamente os pratos típicos da região, tirando a Espada e o Atum, são à base de carne. Não somos produtores mas é uma presença na nossa gastronomia. Exemplo disso é a Espetada a Carne de Vinho e Alhos, o Picado e os deliciosos grelhados (sobretudo de galinha, costeletas de porco e bifes). O Picado é ideal para um jantar em família ou entre amigos. Numa travessa pequena, média ou grande, colocada no meio da mesa serve de mote para por a conversa em dia enquanto se “pica” à vontade. Os mais gulosos muitas vezes têm de levar com um “já chega” que isto é para todos. Hehehehe A receita típica varia sendo que a mais consensual é colocar no molho sopa de rabo de boi. Eu não o faço por questões de gosto pessoal. Como faço o meu picado: - Carne de vaca da boa e tenra cortada aos cubos temperada com sal, alho e louro; - Numa frigideira bem quente com um fio de azeite e