Avançar para o conteúdo principal

#tbt - Risotto de Lapas e Tomate Seco com Topping de Curgete e Coentros


Mexer ou remexer no passado por vezes traz ansiedade mas… nem sempre é mau. No meu caso em concreto, tenho tido boas surpresas ao reler receitas que escrevi e que já não me lembrava.

E ainda bem que o tenho feito!

Muitas vezes dizem-me que me exponho demais, que o que escrevo não tem interesse nenhum, que sou muito extensa e que ninguém tem pachorra para textos grandes, mimimimi.

A verdade é que todos esses comentários chegam-me a dentro e, infelizmente, mais do que eu queria. No entanto, tenho aprendido a relativizar esse tipo de feedback. Não que seja alheia à crítica, nada disso, já disse e repito: sem crítica não crescemos nem melhoramos. O que faço é por as cosias em perspetiva e acreditar que: quem gosta fica quem não, não é obrigado.

E é assim que escrevo e é assim que vou evoluindo aqui neste cantinho.

Adiante…

Encontrei esta receita de Rissoto, escrita a 15 de maio de 2015, e percebi que ainda não tinha nenhuma receita deste prato aqui no blogue.

Fica aqui a partilha com o texto e com as fotografias tiradas há 5 anos.

“Boa noite,

Sei que já não são horas de cozinhar mas pode ser que sirva de inspiração para algum almoço/jantar que queriam fazer durante o fim-de-semana. Este prato é ideal para 6/8 pessoas e ficarão todos satisfeitos e surpreendidos com estes sabores.

Este Risotto surge de uma invenção, ou seja, um teste. Poderia dar-se o caso de no final ir tudo parar ao caixote do lixo mas felizmente resultou tão bem que vou partilhar com vocês.

As lapas são uma iguaria regional que, pelo que apurei, estão no mercado de consumo entre o mês de março e outubro. Estamos na época delas😉

Para o Risotto de Lapas e Tomate Seco:

Os ingredientes que nunca estão completos nesta primeira foto porque depois vou adicionando outros a gosto.

- 500gr de lapas (com casca)
- 1 cebola finamente picada
- 100gr de tomate seco cortado em tiras
- 2 chávenas de arroz de risotto
- 1 copo de vinho branco
- manteiga
- sal
- queijo parmesão
- caldo

Caldo de Lapas:


- 500gr de lapas com casca
- rama de alho francês
- 3 dentes de alho,
. pimenta preta

Topping de Curgete e Coentros:

- 1 curgete média
- molho inglês
-sal
-coentros
- azeite

Como fazer:

Primeiro deve-se fazer o caldo. O segredo do risotto está no caldo. Para isso numa panela grande coloquei os ingredientes descritos no "Caldo de Lapas". Deixei cozinhar por 20 minutos.
Depois disso escorrer muito bem por um passador fino e separar as cascas do molusco e reservar este último.

Na panela onde se vai cozinhar o risotto colocar a cebola finamente picada. Nesta fase costuma-se usar manteiga. Eu usei o azeite que conservava o tomate seco para dar ainda mais sabor. Deixei refogar e depois acrescentei o risotto. Usei 2 chávenas de chá para 4 pessoas.

Quando o grão do arroz começou a ficar translúcido coloquei o copo de vinho branco e deixei evaporar mexendo de vez em quando.
A porção de caldo que se adiciona deve apenas cobrir o risotto

Sei que está na altura de adicionar o caldo quando o risotto faz o ponto de estrada que por outras palavras é quando se passa a colher e este abre-se em duas partes sem se voltar a unir.
Ponto de Estrada

Cobri com caldo e deixei cozinhar até fazer novamente ponto de estrada. Desta vez adicionei o tomate seco e a lapas porque queria que este incorporasse o saber destes dois elementos.
Fui fazendo ponto de estrada e adicionando caldo mais ou menos durante 20 minutos. Aqui têm de provar e ver se o risotto está ao vosso gosto.
Logo após a primeira leva do caldo adiciono as lapas e o tomate seco

Entretanto numa frigideira anti-aderente adicionei a curgete e um fio de azeite e deixei que secasse a sua água. Temperei com um pouco de sal, molho inglês e coentros bem picados. 5 minutos e está pronta.
Por fim completei o prato. Adicionei queijo parmesão ao risotto e uma noz de manteiga (esta parte vai depender do vosso gosto pelo parmesão e pela manteiga). Até então não tinha posto sal. Convém retificar só no final pois o parmesão e a manteiga são ingredientes salgados.

Para servir usei um prato fundo. Coloquei uma porção de Rissoto de Lapas e Tomate Seco com o Topping de Curgete por cima.

Modéstia à parte parecia e sabia a uma refeição de restaurante! :)

Tenham atenção à parte do caldo, tem de ficar mesmo bem coado senão passam as areias das lapas e fica desagradável ao paladar.

Espero que tenham gostado da sugestão!
Bom fim de semana.”

Espero mesmo que tenham gostado da sugestão.

Quanto às lapas podem encontrá-las na Peixaria do Sérgio, têm estado uma delícia, ou se tiverem congeladas também podem usar.

Mafalda

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Bodião no forno e a empreitada para deixar de comer peixe

O bodião é um peixe que se encontra facilmente na Madeira pois o seu habitat preferencial é  junto á costa em toda a orla rochosa, em locais com muitas algas e também dentro dos portos. A sua cor varia entre o vermelho e o castanho sendo que identifica se é fêmea ou macho, respetivamente.

A sua carne é muito branca e densa e é dos peixes que mais gosto. Tem um sabor muito próprio que me leva à minha herança gastronómica. Em qualquer restaurante de peixe há bodião. Normalmente é feito grelhado ou então em filetes fritos.

A minha opção de fazer no forno foi por ser mais rápido e também por gostar muito de peixe assado. E vá… porque queria testar esta receita :D
Pré-aquecer o forno a 200º.

Comecei por fazer o tempero do peixe:
Numa trituradora juntei:
-6 tomates secos
- 2 dentes de alho
- 1 pitada de sal
- uma mão cheia de mistura de especiarias
- duas mãos cheias de manjericão fresco
- azeite e vinagre
Tudo triturado até ficar uma pasta.

Coloquei os peixes num tabuleiro de ir ao forno …

Picado ou Picadinho

É só escolher qual o nome que querem dar a este petisco típico da minha terra – a bela e formosa ilha da Madeira.
Curiosamente os pratos típicos da região, tirando a Espada e o Atum, são à base de carne. Não somos produtores mas é uma presença na nossa gastronomia. Exemplo disso é a Espetada a Carne de Vinho e Alhos, o Picado e os deliciosos grelhados (sobretudo de galinha, costeletas de porco e bifes).

O Picado é ideal para um jantar em família ou entre amigos. Numa travessa pequena, média ou grande, colocada no meio da mesa serve de mote para por a conversa em dia enquanto se “pica” à vontade. Os mais gulosos muitas vezes têm de levar com um “já chega” que isto é para todos. Hehehehe
A receita típica varia sendo que a mais consensual é colocar no molho sopa de rabo de boi. Eu não o faço por questões de gosto pessoal.

Como faço o meu picado:
- Carne de vaca da boa e tenra cortada aos cubos temperada com sal, alho e louro;
- Numa frigideira bem quente com um fio de azeite e fritar at…

Peitos de Frango com manteiga de amendoim

A receita é do grande Jamie Oliver, a execução é minha. E este post vai abordar várias temáticas. Aconselha-se uma cadeira confortável, um chá quente e muita paciência, mas vai valer a pena. Confiem 😃

Se calhar falo primeiro de como se faz e depois do resto. O que acham? Acho que ouvi um sim desse lado. Então aqui vai:

Pré-aquecer o forno a 190º na função grelhador.

Ingredientes:
- três peitos de frango
- um limão
- duas colheres de sopa de manteiga de amendoim
- um dente de alho
- malagueta a gosto
- água
- sal
- pimenta
-azeite

Preparação:

Comecei por golpear os peitos de frango e temperei com sal, pimenta, raspas de limão e azeite. Reservei.

Para o molho misturei duas colheres de sopa de manteiga de amendoim, com sumo de meio limão, um alho ralado e um pouco de água.

A água serve para deslaçar o molho que tem de ficar com uma consistência mais cremosa, diria tipo iogurte.
A receita dizia para usar uma frigideira que depois fosse ao forno. Como não tenho usei um tabuleiro de ir ao…