Avançar para o conteúdo principal

Se me virem a correr, fujam! Deve ser alguma coisa bem grave



O título descreve o meu lamentável estado físico. Faz já uns largos anos que descurei esta parte de mim. Como vos disse, no início de março propus-me perder quatro quilos. Passado um mês, o resultado ficou pela metade, o que, vendo bem, não é assim tão mau. Não me pus a passar fome nem a fazer dietas loucas, porque sei muito bem que fazer dieta não é um tratamento de um mês mas sim uma mudança de hábitos de vida.

Este é um blogue de comida, como sabem, e sobre comida que nos conforta, faz bem e que seja prática para todos os dias. Mas mesmo a comer bem (isto é, não comer “porcarias”) e a fazer tudo certinho, passaram uns 10 anos desde que bastava meia dúzia de refeições ligeiras para o peso voltar ao normal.

Por incrível que pareça, tem sido desafiante, pois cozinho muito mais e com mais cuidado e programação. Deixo as refeições organizadas de um dia para o outro e parece que estou sempre nas compras e à volta dos tachos, porque não dá para comprar vegetais e frutas a granel. Para além disso tudo, gosto de ser imaginativa; recuso-me a comer coisas que não me sabem bem só porque devem ser menos calóricas. Há um grande mundo a explorar! Mas já estou a começar a encontrar uma rotina para meu bem e dos daqui de casa (o humor às vezes não é o melhor).

Não vos vou mentir: acho-me gorda desde sempre e sempre tentei manter-me dentro de um limite que acho razoável. A verdade é que nunca senti bullying, nunca ninguém me chamou gorda mas é coisa minha. Acho que só estive mesmo muito gorda no fim da gravidez do Manuel e durante os meses seguintes. Tive muitas vezes prioridade para passar nas caixas de supermercado, já o Manuel tinha uns sete meses. Em vez de aproveitar, ficava danada! Cada um tem a sua mania. Esta é a minha!

Mas a vida é curiosa e põe tudo no lugar certo, na hora certa. Acredito mesmo nesta filosofia. E quando mais estava a precisar de uma ajuda extra, a Marisa Fernandes, uma mulher daquelas que não há muita coisa que a deite abaixo, deu início ao seu novo projeto, o MF Fitness. Para além de muitas qualidades profissionais – é instrutora com mais de nove anos de experiência, aliados a formação contínua, na qual ressaltam os cursos de Instrutor de Fitness Internacional (IFI), Pilates, Mind Body, Hidroginástica e Body Balance, vários workshops na área da dança, incluindo dança para crianças e movimento na infância, e algumas formações menos convencionais, como o Aerial Fitness, Pole Dance e Bollywood – é uma mulher empreendedora, que vê agora o seu trabalho concentrado neste ginásio. Este espaço é a sua cara, feito à sua medida para todos nós.

Tem uma equipa de instrutores de topo, todos qualificados. “Fui buscar pessoas melhores do que eu, só assim evoluímos. Somos também o primeiro ginásio a transformar o treino suspenso e o Pole Dance no formato de aula. Queremos fazer diferente e bem”, explicou-me a Marisa.


Fui conhecer o espaço meia descrente, porque os ginásios metem-me medo. São máquinas, são pesos, são espaços que, só de olhar, já me deixam cansada. Relembro que não tenho nada contra, apenas não me chamam a atenção. No MF Fitness encontrei salas amplas, muitas bolas de Fitball, Hammock de Aerial Fitness, e elásticos para treino suspenso, steps, varões de pole e muito espaço para fazer exercício de forma lúdica e eficaz, como eu gosto.

Aqui o foco está na utilização do peso do corpo e nos exercícios cardio, para que possamos ter uma atividade física adaptada a cada um de nós. Já experimentei várias aulas e destaco o treino funcional, o fitball e o zumba step. Tão bom!

E se acham que está tudo a ser tão bom preparem-se para esta: no mesmo espaço tem um cabeleireiro que funciona das 10h00 às 19h30. E não estejam a pensar que é coisa de mulher, dá um jeitão a todos.

Para quem não quer estar preso a uma mensalidade, no MF Fitness há muitas opções para poder fazer o exercício físico que pretender, desde entradas individuais a “packs” de entradas.

Outro aspeto positivo é que, ao mesmo tempo que decorrem as aulas para os mais velhos, há uma opção de aulas para babys, minis e teen, ou seja, para os mais pequenos entre os três e os catorze anos… Quem tem filhos sabe muito bem o quanto isto facilita a vida. Quantas vezes deixamos de ir ao ginásio porque não temos onde os deixar? E também promove a atividade física de todos que, como sabemos, é de grande valor.


As preocupações são gerais e crescentes, não sou só eu que o digo.

Voltando a mim, espero mesmo que esta ajuda extra me ponha no bom caminho e que a perda de peso e a sua manutenção seja uma realidade e não uma fase. Já viram como nada acontece por acaso?

Aproveitem que o verão está a chegar e, nem que seja por esse “incentivo”, visitem o MF Fitness:
Conjunto habitacional do Amparo – Funchal




Podem também encontrar a Marisa Fernandes no Facebook e no Instagram.

Vá Vá! Tudo a se despachar!
Post escrito em parceria com a MF Fitness

Comentários

  1. Gosto muito de ver elogios registados, para variar um pouco das "más línguas" ou notícias descabias que não tem onde encaixar.
    Em prol dos nossos anos de ginastas no antigo ginásio FF, quem sabe um dia não te faço companhia para afinar o motor e as "suspensões" 😜 Bjnhs e continua com o teu excelente trabalho também.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Rubina e claro que a companhia será muito bem vinda!

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Tudo sobre a minha relação com o Cristiano Ronaldo

Não é de agora, já tem alguns anos e damo-nos lindamente, nunca discutimos, nunca houve ciúmes nem tivemos arrufos de família. A Dolores para mim foi sempre uma querida, tal como as irmãs e o irmão. Tem sido perfeito. Acima de tudo porque nunca nos vimos nem estivemos sequer a dois metros um do outro o que, de certa forma facilita, em muito, a boa saúde desta relação.
Aliás o mais próximo que estivemos foi esta montagem manhosa que fiz no paint.net 😁. A original é com a irmã Kátia.

Curioso que é este sentimento! Não é amor de amor, não é amor de mãe, não é amor de irmão nem de amigo, é sim uma admiração profunda que tenho por ele e nem sei bem explicar porquê. Já tive ídolos na adolescência, como por exemplo, o Michael Jordan mas nunca tive um sentimento de pertença em relação a este último como tenho pelo Cristiano Ronaldo.

Talvez por ser madeirense, talvez por admirar a sua história de vida e a coragem que teve (ele e os pais) no momento que com 10 anos saiu da Madeira para um mun…

39… é muita fruta

E muito champanhe e balões e confetes e banda e fogo-de-artifício e todo esse banzé digno de mais uma volta ao sol.

Menos, muito menos. Já fui bastante mais festeira do que sou hoje e, muito sinceramente, basta-me saber de saúde que já fico genuinamente feliz.

Começo este ano com a perfeita noção que tenho muito mais para agradecer do que reclamar e este sentimento tem vindo a ser reforçado ao longo do tempo.

Para uns sou velha para outros sou nova mas para mim é o que é e se cá cheguei só pode ser bom.
Tenho muito que me orgulhar: desde os meus filhos, ao meu trabalho, a este blogue e a todo o esforço e dedicação que deposito em todas estas tarefas.

Tento sempre fazer o bem, ser correta e cordial. Acredito que tudo isto venha em retorno: recebemos o que damos.

Em forma de desejo(s) e por esta ordem de importância:
- saúde
- amor (bom e verdadeiro)
- dinheiro no bolso (que dá sempre jeito)

Que nunca me falte:
- imaginação e motivação para continuar a cozinhar
- imaginação e motivação…