Avançar para o conteúdo principal

Dia Nacional de Luta Contra a Obesidade


O Dia Nacional de Luta Contra a Obesidade é celebrado no penúltimo sábado do mês de maio, este ano a 19 de maio, portanto hoje!
“O dia visa sensibilizar a população para o problema da obesidade e das doenças associadas, assim como das implicações da obesidade na saúde humana.
A data pretende ainda promover a prática de exercício físico, de forma a prevenir o aumento da obesidade, em especial a infantil e juvenil, assim como incentivar a adoção de hábitos alimentares saudáveis.
Considerada pela Organização Mundial de Saúde como a "epidemia do século XXI", a obesidade é uma doença crónica de armazenamento excessivo de gordura corporal. Encarada como um dos maiores problemas de saúde pública mundial, a obesidade é a segunda causa de morte passível de prevenção, logo a seguir ao tabagismo.
Em Portugal, a obesidade foi reconhecida oficialmente como doença crónica a 25 de março de 2004. Foi também neste ano de 2004 que se celebrou pela primeira vez esta data”.
Informação retirada daqui.

Ora aqui está uma questão que me preocupa. Já lá vai o tempo em que gordura era formosura até porque a obesidade não é uma questão estética mas sim de saúde. Lembro-me bem da minha avó me dizer: come filha, para ficares bonitinha e gordinha. E eu pumba! Comia aquelas bolachas com uma fatia de marmelada que se fosse pesada devia ter quase meio quilo (estou a exagerar mas até tinha dificuldade em por a “dose” à boca).

E foi assim ao longo dos tempos, era normal oferecer doces às crianças até porque era uma manifestação de carinho. A minha geração cresceu a beber refrigerantes às refeições “sem mal nenhum”. Como fazia desporto, lanchava todos os dias uma promoção, como nós chamávamos. A promoção consistia num hambúrguer com batatas fritas e um refrigerante, apenas por 199 escudos, nem chegava ao atual 1 €. Ainda tínhamos à descrição os molhos. E a vida continuava bela a gordinha.

Quando penso nesta minha alimentação nem sei bem o que dizer. Magra não era mas também não era enorme. Já o colesterol devia ser bem bonito!

Tudo evolui e o conhecimento que temos da realidade é agora bem diferente e o acesso à informação generalizou-se. Fazer uma alimentação saudável é, na realidade, uma das minhas preocupações. O saudável como já vos falei é relativo (para uns é nada, para outros é normal, para outros é muito) mas preocupo-me em comer bem, forma variada e faço o mesmo com os meus filhos.

Todos temos atividade física e o nosso tempo livre contempla movimento: praia, levadas, jogar à bola, ir ao parque, entre outros.

Não vos vou dar receitas fantásticas nem vou falar da realidade que vejo de lanches e refeições com meninos mais pequenos porque isso acaba por ser apenas a minha forma de ver o mundo. Acho que pequenos gestos podem fazer com que tenhamos uma população mais rija.

Aqui vai:

- Evito os cereais açucarados ao pequeno-almoço. Sei que não é fácil e muitas vezes mais prático nestas vidas de correria.
Vejam aqui algumas sugestões.

- às refeições bebe-se água. Se quiserem dar um toque diferente podem aromatizá-las com ervas, especiarias ou fruta. Por vezes faço ice-tea, faço o chá normal, ponho gelo e com sorte um bocadinho de mel, hehehe.

- Tenho sempre sopa.

Podem ver aqui algumas sugestões.

- Em casa não há batatas fritas de pacote, nem bolachas, nem chocolates, nem sumos, nem outras coisas açucaradas.

Acabei 😁

Quero referir que ninguém passa fome. Há sempre coisas para comer e as refeições são compostas por sopa, 1.º prato (com proteína, hidratos e vegetais) e sobremesa (ou fruta ou gelatina).

De vez em quando comem gelados e nas festas de aniversário têm ordem de soltura. Eu também gosto de ter o meu espaço para as coisas que gosto e que não fazem bem.

A única coisa que já lhes pedi, por amor de Deus,com as mãos para o céu e de joelhos, foi para não comerem chupa-chupas. Acho que de tudo é o que me faz mais confusão.

O meu objetivo é educa-los no sentido de fazerem boas escolhas, eu não vou estar sempre lá e vai chegar um momento em que a minha ladainha resultou ou não. Espero bem que sim.

Uma curiosidade que vos deixo, os meus dois filhos na tabela do percentil estão com excesso de peso. A minha questão é a seguinte: e se eu não tivesse cuidado??



Bem meus queridos. Era só para falar um bocadinho neste assunto e se de alguma forma poder ajudar com novas ideias, sintam-se à vontade para explorar o blogue.
Bom fim-de-semana.
Mafalda

Comentários

Mensagens populares deste blogue

39… é muita fruta

E muito champanhe e balões e confetes e banda e fogo-de-artifício e todo esse banzé digno de mais uma volta ao sol.

Menos, muito menos. Já fui bastante mais festeira do que sou hoje e, muito sinceramente, basta-me saber de saúde que já fico genuinamente feliz.

Começo este ano com a perfeita noção que tenho muito mais para agradecer do que reclamar e este sentimento tem vindo a ser reforçado ao longo do tempo.

Para uns sou velha para outros sou nova mas para mim é o que é e se cá cheguei só pode ser bom.
Tenho muito que me orgulhar: desde os meus filhos, ao meu trabalho, a este blogue e a todo o esforço e dedicação que deposito em todas estas tarefas.

Tento sempre fazer o bem, ser correta e cordial. Acredito que tudo isto venha em retorno: recebemos o que damos.

Em forma de desejo(s) e por esta ordem de importância:
- saúde
- amor (bom e verdadeiro)
- dinheiro no bolso (que dá sempre jeito)

Que nunca me falte:
- imaginação e motivação para continuar a cozinhar
- imaginação e motivação…

O lado Doce da Europa- uma aventura com final feliz

Integrado nas comemorações oficiais do Ano Europeu para o Património Cultural, a Deputada ao Parlamento Europeu Cláudia Monteiro de Aguiar em parceria com o Centro de Informação Europe Direct Madeira (CIED Madeira) promoveu o Concurso Gastronómico “O lado Doce da Europa”.

O concurso teve como principal objetivo divulgar a gastronomia europeia, especificamente a doçaria, enquanto elemento importante da identidade e diversidade cultural dos  indivíduos, comunidades e sociedades.

As equipas tiveram que reproduzir uma receita - doce/sobremesa típica de um Estado Membro da União Europeia, fornecida aleatoriamente pela organização do concurso.

Aqui começa a aventura!

Quando fui entrevistar a Ângela Jesus para a rubrica “pessoas que eu recomendo” no inicio de março, não me passaria pela cabeça ver-me envolvida neste concurso. Enquanto falávamos, cozinhávamos, tirava fotos e fazia perguntas, surge a questão: Mafalda, quer ser minha parceira num concurso? Eu: concurso? Ângela: sim, de doces!…

Vou vender o “meu” pólinho

Sendo uma pessoa que se liberta bem daquilo que não precisa, existem duas coisas que me fazem confusão mudar: a casa e o carro. Talvez por serem bens mais caros e de certa forma mais permanentes e que por isso mesmo estão associados a memórias, vivências e experiências.

Este Volkswagen Polo 1.2 como a marca o chama é o “meu pólinho” do qual pretendo me separar. Como toda a separação sei que é para melhor mas tem o seu momento de luto.

Ora vejamos, este é o meu segundo carro. O primeiro foi um Smart for Two que tive de vender porque engravidei do Vasco e precisava de mais espaço. Como podem ver sou uma mulher de relações duradoras.

Não foi amor à primeira vista porque estava muito apegada ao Smart e custou-me deixá-lo ir. Todavia aos poucos deixo-o entrar na minha vida e aproveitei todas as vantagens que este carro me trouxe. É um carro fácil de conduzir, de estacionar e muito económico (é a gasolina 95). Sairá das minhas mãos muito estimado e tratado com muito carinho.

Assim sendo, está c…