Avançar para o conteúdo principal

Resoluções (de comida) para 2018


Já as devia ter escrito, no entanto, até ao final de janeiro costuma-se desejar bom ano novo, daí que este texto ainda esteja dentro do prazo.

Tenho aprendido ao longo dos meus 38 anos a ser uma pessoa mais calma (ainda em elevados níveis de ansiedade mas muito melhor) e daí perceber que grandes planos ou grandes certezas não nos adiatam de muito pois a vida encarrega-se de por tudo no seu sítio na hora e no momento certo.
Contudo tento sempre levar a cabo uma ou outra ideia que acho que fazem sentido e não por ser uma resolução mas sim um processo que há muito pensava e só precisava de um empurrão. A mudança de ano pode ser a dica.

Este vai ser um post sobre comida e sobre os meus filhos duas coisas que preenchem por completo a minha vida.

Resoluções:

1- Estar sempre atenta a tudo o que gira à volta da comida e da culinária. Não me deixar abater pelo cansaço ou por dias em que não estou tão bem disposta. Arranjar tempo para cozinhar, escrever e ter ideias novas. É isto que gosto de fazer.

2- Tentar ser vegetariana: Não vou ser ainda este ano. Gosto de carne, de peixe e de mariscos e acima de tudo acredito nos benefícios da ingestão destas proteínas em doses moderadas e com produtos de qualidade (tenho em conta a forma como são criados). Contudo, estou definitivamente empenhada no consumo muito moderado destes ingredientes. Comer muito menos vezes. A mim não me custa nada mas agora entram os filhos: fazer refeições vegetarianas na minha casa é sempre motivo de conflito. Dizem que ficam com fome e que pelo menos podia-lhes dar fatias de pão e fiambre. Estão a ver não estão?

3- Empenhar-me mais na alimentação dos meus filhos: não que comam mal mas têm imensa resistência às leguminosas e experimentar coisas novas é sempre a muito custo;
4- Tentar ser mais regrada nas compras de supermercado/mercearia/frutaria/talho/peixaria. Acho que gasto muito dinheiro porque vou muitas vezes ao supermercado. Tenho de fazer lista e não ter ideias novas de 20 em 20 minutos, hehehe. Perco, igualmente, muito tempo nas caixas e nas filas para ter os produtos que acho serem os melhores. Acreditem ou não, eu odeio ir às compras.

Vou ficar-me por estas 4. Já tenho pano para mangas!

Sobre o Vasco:

É o rei do lanchinhos, por ele alimentava-se a iogurtes, pão com doce, queijadas, gelados, entre outros alimentos tão saudáveis como gomas e chocolates. É o mais resistente a alimentos novos, mas se tiver sopa nunca diz que não. Mesmo assim não me posso queixar, adora os sumos de vegetais, peixe assado, tomate, alface, batata doce e qualquer tipo de fruta.

Sobre o Manuel:

Também tem uma adoração por pão-de-leite com doce e fiambre, mas no que diz respeito à refeição come sempre um bom prato e come de tudo. Gosta de coisas diferentes e os pickles fazem parte dos seus petiscos preferidos. Está sempre com fome mas se for sopa o jantar fica a desfalecer, quer sempre mais. Adora sushi tal como o irmão e isso faz de mim uma mãe feliz, por mim comia todos os dias.

Por fim e para não adormecerem:

Eu gosto de tudo basicamente, gosto mesmo muito de comer. Gosto de experimentar e de provar e de testar e tenho sempre ideias sobre pratos novos a fazer. Gostava de não gostar de algumas coisas essencialmente as que nos fazem mal, ou melhor, as que não são assim tão necessárias para o bom funcionamento do organismo (gostaram do eufinismo?).

É isto!
Obrigada a todos por estarem desse lado e desejo-vos um ano cheio de dia-a-dia com o coração sempre no lugar.

Mafalda

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Tudo sobre a minha relação com o Cristiano Ronaldo

Não é de agora, já tem alguns anos e damo-nos lindamente, nunca discutimos, nunca houve ciúmes nem tivemos arrufos de família. A Dolores para mim foi sempre uma querida, tal como as irmãs e o irmão. Tem sido perfeito. Acima de tudo porque nunca nos vimos nem estivemos sequer a dois metros um do outro o que, de certa forma facilita, em muito, a boa saúde desta relação.
Aliás o mais próximo que estivemos foi esta montagem manhosa que fiz no paint.net 😁. A original é com a irmã Kátia.

Curioso que é este sentimento! Não é amor de amor, não é amor de mãe, não é amor de irmão nem de amigo, é sim uma admiração profunda que tenho por ele e nem sei bem explicar porquê. Já tive ídolos na adolescência, como por exemplo, o Michael Jordan mas nunca tive um sentimento de pertença em relação a este último como tenho pelo Cristiano Ronaldo.

Talvez por ser madeirense, talvez por admirar a sua história de vida e a coragem que teve (ele e os pais) no momento que com 10 anos saiu da Madeira para um mun…

Papas de aveia no forno com frutos vermelhos e o dia do Obrigado!

Umas das resoluções que fiz para o ano de 2018 é fazer com que os meus filhos sejam mais “fáceis” de contentar saindo dos pequenos-almoços tradicionais com cereais e pão. Eu esforço-me acreditem. Tento sempre fazer com que a comida mais saudável saiba bem porque sei muito bem que comer só por comer não adianta de muito e não muda hábitos.

Já tinha tentado as papas de aveia com banana e canela, mas não correu nada bem. Como disse na altura, não vou desistir e vou continuar a dar o melhor de mim.

As papas de aveia no forno são uma boa opção para mim, porque as faço na véspera e depois guardadas em local fresco aguentam pelo menos uns 3/4 dias.

Vi esta receita no blogue do Casal Mistério e pareceu-me muito bem para uma nova tentativa de papas de aveia.
Ingredientes Secos

- 2 chávenas de flocos de aveia;
- 1 colher de chá de fermento;
- 1 colher de chá de canela (eu devo ter posto mais);
- 1 pitada de sal;
- 1 colher de sopa de açúcar de coco

Ingredientes líquidos

- 2 chávenas de leite;

Ninguém tira o “Rotollo” de boa cozinheira a Ângela Jesus

Dona de um grande sorriso e de uma gargalhada contagiante, Ângela Jesus é “pessoa que recomendo” com todo o prazer. A sua generosidade e forma como cozinha, fazem parecer que tudo é fácil e ágil na hora de por a comida na mesa. Recebeu-me na sua casa e aceitou partilhar convosco um dos seus pratos de referência, o “Rotollo”, que agrada todos os de casa e que… deixou-me nas nuvens.

A vida encarregou-se de nos por frente a frente enquanto finalistas do FN Kitchen Team Cup 2.ª Edição. Nada acontece por acaso, pois não? De todos os desafios, lembro-me da sua Tarte de Banana, que não deixou margem de dúvidas ao painel de jurados. Hoje vai falar-nos de uma especialidade que diz ter as “pastas”. Eu confirmo.

Vamos conhecê-la!

Enfermeira de profissão e de vocação, é uma cozinheira de coração. Mãe de três filhos adultos e avó de uma menina e de um menino. Começa cedo a cozinhar (pelos 11 anos) tendo num tio a sua maior referência culinária: “o meu tio Carlos cozinha lindamente. Foi ele que me…