Avançar para o conteúdo principal

A minha primeira noitada culinária!


Não foi até altas horas, às 3h30 da manhã já estava de volta mas pode-se dizer que ainda deu para aproveitar e na manhã seguinte o efeito da ressaca foi maravilhoso. Valeu tudo a pena!
Então rapariga tudo bem contigo? Sim está e já vos vou contar esta linda história.
Primeiro falar do que me levou a um prato que demora entre 5 a 6 horas a ficar feito, eu que só penso em como otimizar as refeições.

Está frio, tenho filhos pequenos, as minhas sextas à noite já foram mais glamourosas. Nem falo em saídas mas era o dia que costumava reunir amigos cá em casa e ficávamos a comer, a beber e a falar até horas impróprias. Não é que isso tenha acabado mas não é tão frequente e já não basta um telefonema uma hora antes para ficar tudo combinado. Quem tem filhos sabe do que falo, quem não tem acredite em mim.

Entretenho-me agora de outras formas. Gosto de estar por casa com eles e quando dormem dedico-me ao meu querido hobbie. Dá-me mesmo prazer. Liberta-me de maus pensamentos e põe a imaginação a funcionar.

Fui ao talho e vi o “Rabo de Boi” estava com tão bom aspeto que não tive outra hipótese senão comprá-lo. Como corte de segunda categoria é mais barato. No entanto, tem de ser cozinhado de forma correta para não se tornar impossível para consumo. É uma carne rija se cozinhada pouco tempo. Mas se bem cozinhada torna-se numa ótima opção e que rende para mais que uma refeição. E daqui nasce o meu ragu de rabo de boi.

Comecei por levar ao forno o rabo de boi (1,500kg) temperado com sal (mais ou menos uns 20 minutos a uma temperatura de 200º).

Enquanto estava no forno tratei dos vegetais: 4 dentes de alho, 1 alho francês grande, 3 cenouras, 8 hastes de aipo, 1 nabo, 2 pimentos vermelhos, 3 folhas de louro.

Refoguei tudo numa panela grande com um fio de azeite. Esta panela deve ser daquelas que pode ir ao forno, ou seja, sem abas de plástico.

Quando os vegetais estavam refogados adicionei uma colher de sopa de farinha de trigo e misturei bem.

Logo depois duas latas de tomate pelado (cerca de 800gr) e voltei a mexer.

Tirei o rabo de boi do forno e baixei para 150º. Coloquei dentro da panela, mexi, cobri com água e adicionei sal.

Tapei e foi ao forno a 150º por 6 horas, sem tirar nem por!

Foi aqui que a minha fraca matemática entrou ao serviço. Fiz mal as contas. Quando pus a panela no forno eram 21h30 e não sei porque carga de água achei que lá para as 2h30 tinha as 6 horas. Não, não era. Era às 3h30. Contei a hora que pus como sendo uma hora. Conversa tonta esta.

Adiante. Fui-me deitar e pus o despertado. O meu forno não tem temporizador. Toca o despertado, levanto-me desligo o forno e cama novamente.

Ficou até de manhã no forno e sabem? Ficou tão tenra e o molho tão delicioso que valeu o tempo, o gasto de gás, e até a interrupção do sono.

Retirei a carne do osso, retifiquei o sal e adicionei 4 colheres de sopa de molho inglês.


Nesse dia servi o ragú com puré de batata-doce. 

É só uma das opções. Podem servi-lo com esparguete ou linguini e até mesmo sob uma fatia de pão. O que sobrar podem congelar e têm uma refeição pronta para outro dia.
Este post já vai longo. Espero que se inspirem e ousem na cozinha. Ficam todos a ganhar.
Beijos.

Mafalda

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Bodião no forno e a empreitada para deixar de comer peixe

O bodião é um peixe que se encontra facilmente na Madeira pois o seu habitat preferencial é  junto á costa em toda a orla rochosa, em locais com muitas algas e também dentro dos portos. A sua cor varia entre o vermelho e o castanho sendo que identifica se é fêmea ou macho, respetivamente.

A sua carne é muito branca e densa e é dos peixes que mais gosto. Tem um sabor muito próprio que me leva à minha herança gastronómica. Em qualquer restaurante de peixe há bodião. Normalmente é feito grelhado ou então em filetes fritos.

A minha opção de fazer no forno foi por ser mais rápido e também por gostar muito de peixe assado. E vá… porque queria testar esta receita :D
Pré-aquecer o forno a 200º.

Comecei por fazer o tempero do peixe:
Numa trituradora juntei:
-6 tomates secos
- 2 dentes de alho
- 1 pitada de sal
- uma mão cheia de mistura de especiarias
- duas mãos cheias de manjericão fresco
- azeite e vinagre
Tudo triturado até ficar uma pasta.

Coloquei os peixes num tabuleiro de ir ao forno …

Picado ou Picadinho

É só escolher qual o nome que querem dar a este petisco típico da minha terra – a bela e formosa ilha da Madeira.
Curiosamente os pratos típicos da região, tirando a Espada e o Atum, são à base de carne. Não somos produtores mas é uma presença na nossa gastronomia. Exemplo disso é a Espetada a Carne de Vinho e Alhos, o Picado e os deliciosos grelhados (sobretudo de galinha, costeletas de porco e bifes).

O Picado é ideal para um jantar em família ou entre amigos. Numa travessa pequena, média ou grande, colocada no meio da mesa serve de mote para por a conversa em dia enquanto se “pica” à vontade. Os mais gulosos muitas vezes têm de levar com um “já chega” que isto é para todos. Hehehehe
A receita típica varia sendo que a mais consensual é colocar no molho sopa de rabo de boi. Eu não o faço por questões de gosto pessoal.

Como faço o meu picado:
- Carne de vaca da boa e tenra cortada aos cubos temperada com sal, alho e louro;
- Numa frigideira bem quente com um fio de azeite e fritar at…

Peitos de Frango com manteiga de amendoim

A receita é do grande Jamie Oliver, a execução é minha. E este post vai abordar várias temáticas. Aconselha-se uma cadeira confortável, um chá quente e muita paciência, mas vai valer a pena. Confiem 😃

Se calhar falo primeiro de como se faz e depois do resto. O que acham? Acho que ouvi um sim desse lado. Então aqui vai:

Pré-aquecer o forno a 190º na função grelhador.

Ingredientes:
- três peitos de frango
- um limão
- duas colheres de sopa de manteiga de amendoim
- um dente de alho
- malagueta a gosto
- água
- sal
- pimenta
-azeite

Preparação:

Comecei por golpear os peitos de frango e temperei com sal, pimenta, raspas de limão e azeite. Reservei.

Para o molho misturei duas colheres de sopa de manteiga de amendoim, com sumo de meio limão, um alho ralado e um pouco de água.

A água serve para deslaçar o molho que tem de ficar com uma consistência mais cremosa, diria tipo iogurte.
A receita dizia para usar uma frigideira que depois fosse ao forno. Como não tenho usei um tabuleiro de ir ao…