Avançar para o conteúdo principal

Peitos de Frango com manteiga de amendoim


A receita é do grande Jamie Oliver, a execução é minha. E este post vai abordar várias temáticas. Aconselha-se uma cadeira confortável, um chá quente e muita paciência, mas vai valer a pena. Confiem 😃

Se calhar falo primeiro de como se faz e depois do resto. O que acham? Acho que ouvi um sim desse lado. Então aqui vai:

Pré-aquecer o forno a 190º na função grelhador.

Ingredientes:
- três peitos de frango
- um limão
- duas colheres de sopa de manteiga de amendoim
- um dente de alho
- malagueta a gosto
- água
- sal
- pimenta
-azeite

Preparação:

Comecei por golpear os peitos de frango e temperei com sal, pimenta, raspas de limão e azeite. Reservei.


Para o molho misturei duas colheres de sopa de manteiga de amendoim, com sumo de meio limão, um alho ralado e um pouco de água.


A água serve para deslaçar o molho que tem de ficar com uma consistência mais cremosa, diria tipo iogurte.

A receita dizia para usar uma frigideira que depois fosse ao forno. Como não tenho usei um tabuleiro de ir ao forno como frigideira.

Aqueci no fogão (como se fosse uma frigideira) e depois coloquei os peitos de frango com os golpes virados para baixo.

Deixei que ficassem dourados, virei-os e depois reguei com o molho de manteiga de amendoim. No molho não pus a malagueta por causa dos meninos. Pus depois no meu.

Levei ao forno por 5 minutos o mais próximo da resistência do forno.
Ficaram ótimos mas… não ficaram bonitos. E agora começa o post longo. Ainda estão aí? Acho que ouvi um sim desse lado. Então aqui vai:

- Ainda me ri bastante deste frango. O Vasco que tem um sentido de humor refinado (pelo menos para mim claro) olhou estarrecido para mim.

Ele: Mãe ai ai ai!
Eu: O que se passa Vasco?
Ele: Fizeste um sapo para o jantar? Eu não como. Mano anda ver, a mãe matou um sapo. Hehehehehehehehheheheehheheheheheh
Eu: Ri que me fartei e expliquei que não era mas não ficou convencido pois desde o peixe assado desconfiam de mim. . Depois comeu e gostou mas tive de me esforçar para o convencer que não era um sapo. Mas digamos.. Até tinha razão.

Realmente o que eu ali apresentava nada tinha a ver com a imagem do livro de receitas. E eu até acho que não sou muito má a por as coisas de forma bonita no prato, mas… não deu, para a foto e para que não ficassem com medo de não fazer tive de dar um outro arranjo que normalmente não o faria.

Conclusões:

- Não somos maus cozinheiros por não sabermos replicar na exatidão o que nos é apresentado na fotografia;

- Neste campo tenho a dizer que muitas vezes as fotografias têm “maquilhagem” de forma a torná-las mais apetecíveis. Nada contra atenção é só para realçar o facto de não sermos todos profissionais mas isso não nos impede de cozinhar bem;

- A comida nem sempre deve ser avaliada pelo aspeto. Não é a toa que nos concursos de Masterchef dizem sempre que o sabor é que conta;

- Não nos devemos intimidar por grandes feitos culinários. Cada um cozinha à sua maneira, ao seu tempo e ao seu jeito (e acho que já me estou a repetir);

- Por falhar uma vez não quer dizer que vá falhar sempre. A primeira vez que se faz alguma coisa serve de teste para as vezes seguintes;

- Se a receita pede uma coisa e vocês não a têm… paciência, pode ser que dê para improvisar. Vejam o caso da frigideira de ir ao forno no início desta receita.

E é isto! Cozinhar, estar na cozinha, comer deve ser leve e divertido e não um fardo porque aí tenham a certeza, nada vai sair bem!

Beijos e aproveitem este tempo de chuva para cozinhar e estar no conforto do lar.
Mafalda

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Tudo sobre a minha relação com o Cristiano Ronaldo

Não é de agora, já tem alguns anos e damo-nos lindamente, nunca discutimos, nunca houve ciúmes nem tivemos arrufos de família. A Dolores para mim foi sempre uma querida, tal como as irmãs e o irmão. Tem sido perfeito. Acima de tudo porque nunca nos vimos nem estivemos sequer a dois metros um do outro o que, de certa forma facilita, em muito, a boa saúde desta relação.
Aliás o mais próximo que estivemos foi esta montagem manhosa que fiz no paint.net 😁. A original é com a irmã Kátia.

Curioso que é este sentimento! Não é amor de amor, não é amor de mãe, não é amor de irmão nem de amigo, é sim uma admiração profunda que tenho por ele e nem sei bem explicar porquê. Já tive ídolos na adolescência, como por exemplo, o Michael Jordan mas nunca tive um sentimento de pertença em relação a este último como tenho pelo Cristiano Ronaldo.

Talvez por ser madeirense, talvez por admirar a sua história de vida e a coragem que teve (ele e os pais) no momento que com 10 anos saiu da Madeira para um mun…

Papas de aveia no forno com frutos vermelhos e o dia do Obrigado!

Umas das resoluções que fiz para o ano de 2018 é fazer com que os meus filhos sejam mais “fáceis” de contentar saindo dos pequenos-almoços tradicionais com cereais e pão. Eu esforço-me acreditem. Tento sempre fazer com que a comida mais saudável saiba bem porque sei muito bem que comer só por comer não adianta de muito e não muda hábitos.

Já tinha tentado as papas de aveia com banana e canela, mas não correu nada bem. Como disse na altura, não vou desistir e vou continuar a dar o melhor de mim.

As papas de aveia no forno são uma boa opção para mim, porque as faço na véspera e depois guardadas em local fresco aguentam pelo menos uns 3/4 dias.

Vi esta receita no blogue do Casal Mistério e pareceu-me muito bem para uma nova tentativa de papas de aveia.
Ingredientes Secos

- 2 chávenas de flocos de aveia;
- 1 colher de chá de fermento;
- 1 colher de chá de canela (eu devo ter posto mais);
- 1 pitada de sal;
- 1 colher de sopa de açúcar de coco

Ingredientes líquidos

- 2 chávenas de leite;

Ninguém tira o “Rotollo” de boa cozinheira a Ângela Jesus

Dona de um grande sorriso e de uma gargalhada contagiante, Ângela Jesus é “pessoa que recomendo” com todo o prazer. A sua generosidade e forma como cozinha, fazem parecer que tudo é fácil e ágil na hora de por a comida na mesa. Recebeu-me na sua casa e aceitou partilhar convosco um dos seus pratos de referência, o “Rotollo”, que agrada todos os de casa e que… deixou-me nas nuvens.

A vida encarregou-se de nos por frente a frente enquanto finalistas do FN Kitchen Team Cup 2.ª Edição. Nada acontece por acaso, pois não? De todos os desafios, lembro-me da sua Tarte de Banana, que não deixou margem de dúvidas ao painel de jurados. Hoje vai falar-nos de uma especialidade que diz ter as “pastas”. Eu confirmo.

Vamos conhecê-la!

Enfermeira de profissão e de vocação, é uma cozinheira de coração. Mãe de três filhos adultos e avó de uma menina e de um menino. Começa cedo a cozinhar (pelos 11 anos) tendo num tio a sua maior referência culinária: “o meu tio Carlos cozinha lindamente. Foi ele que me…